quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Clamem ao Senhor!

"Senhor, Deus dos nossos antepassados, não és tu o Deus que está nos céus? Tu governas sobre todos os reinos do mundo. Força e poder estão em tuas mãos, e ninguém pode opor-se a ti. (...) Ó nosso Deus, não irás tu julgá-los? Pois não temos força para enfrentar esse exército imenso que está nos atacando. Não sabemos o que fazer, mas os nossos olhos se voltam para ti". (2 Crônicas 20:6,12).

Faço um apelo aos meus irmãos em Cristo: por favor, orem pelos irmãos que estão sendo perseguidos pelo Estado Islâmico e pelos governantes do Brasil! 


Para ficar mais claro:



(1) Peçam a Deus que fortaleça a Igreja perseguida e livre os irmãos desses ataques cruéis. Não percam tempo, clamem por eles! Não é porque temos a vida eterna em Cristo que não podemos clamar ao Senhor para que livre o Seu povo dessa barbárie. 



(2) Peçam ao Senhor Jesus Cristo que converta o coração dos membros e simpatizantes do Estado Islâmico, que inunde suas mentes com Seu amor e com Sua paz. Só assim eles mudarão de atitude.



(3) Por fim, clamem por nosso país, supliquem pela misericórdia do Senhor sobre nossas autoridades,
para que Ele tire os corruptos e coloque políticos decentes no comando do Brasil! E por favor, não venham me dizer que político é tudo igual, que não adianta, que sempre foi assim, que não tem jeito etc. Eu creio em um Deus Vivo que tem todo o poder, inclusive para mudar a política do nosso país. 



Estou pensando em iniciar um grupo de oração por esses motivos específicos, por favor, orem a respeito.



Em Cristo,


Pr. Nill.

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Estratégia para enfraquecer a Igreja de Jesus Cristo

Depois de muitos anos servindo ao Senhor, somente agora iniciei a leitura de um dos melhores e mais famosos livros cristãos: "O Contrabandista de Deus", da Editora Betânia.

O livro conta a história do irmão André, um crente holandês que foi tremendamente usado por Deus para promover o Evangelho de Jesus Cristo junto às igrejas perseguidas pelo regime comunista na Rússia e nos países da Europa, durante a década de 50.

E o Senhor colocou em meu coração o desejo de compartilhar com vocês um alerta contido nesse livro. 

Em uma conversa com um pastor que vivia na então Alemanha Oriental, o irmão André ouviu o seguinte relato sobre a estratégia que o Estado Comunista estava empregando contra a Igreja daquele país:
"Não se pode usar táticas de mão forte contra a Igreja, sem que, como resultado, ela se fortaleça mais. Sempre foi dessa forma. Diante da perseguição, o homem olha para a sua fé para ver se vale a pena lutar por ela, e este é um exame em que o cristianismo sempre pode ser aprovado. O perigo real surge quanto o ataque é indireto, e através dele a pessoa é atraída para longe da Igreja, antes que tenha oportunidade de se tornar forte".
Sabe, eu creio que a mesma estratégia tem sido utilizada contra a Igreja brasileira, de certa forma.

Acho que você conseguirá se lembrar de alguns exemplos, se pensar um pouco a respeito.

Por isso, cuidado.

Em Cristo,

Pr. Nill.





domingo, 1 de fevereiro de 2015

Se houver sofrimento, você ainda servirá ao Senhor?

Recentemente escrevi um post no Facebook (https://www.facebook.com/Pr.Nill) sobre o contraste entre os evangélicos não praticantes e os missionários que estão literalmente dando suas vidas por amor ao Senhor.

O post recebeu muitos comentários, alguns bons e pertinentes, outros, nem tanto. Por exemplo, uma pessoa escreveu  mais ou menos assim: "Bem, se eles sabem que vão morrer, por que então viajam para pregar naquele lugar? Afinal, a Bíblia nos ensina a não tentar o Senhor nosso Deus!", citando Mateus 4:7.

Contudo, com o devido respeito, houve um erro de interpretação do autor daquele comentário. Gostaria de comentar algumas lições que Deus trouxe ao meu coração a partir desse equívoco de interpretação. Vamos lá:

Primeira lição: não tire o texto do contexto

Como se sabe, se tirarmos um texto bíblico do seu contexto, ele será um pretexto para qualquer afirmação.

No caso, não tratávamos de exibicionismo espiritual. Não se tratava de se colocar em uma situação de perigo desnecessário apenas para provar que Deus tem poder.

Não, estávamos tratando do chamado missionário e do testemunho cristão. Então, para um comentário pertinente, seria necessário buscar na Bíblia um texto que pudesse trazer uma lição mais direta sobre o assunto. Que tal pensarmos em um texto que traz um relato de um missionário (para mim, o maior missionário que a Igreja já teve dentre os homens) que foi colocado em uma situação extrema, na qual teve que decidir se continuaria a cumprir sua missão ou simplesmente retrocederia para salvar sua vida? Eu me refiro ao texto de Atos 21:10-13:
Depois de passarmos ali vários dias, desceu da Judéia um profeta chamado Ágabo.Vindo ao nosso encontro, tomou o cinto de Paulo e, amarrando as suas próprias mãos e pés, disse: "Assim diz o Espírito Santo: ‘Desta maneira os judeus amarrarão o dono deste cinto em Jerusalém e o entregarão aos gentios’ ".Quando ouvimos isso, nós e o povo dali rogamos a Paulo que não subisse para Jerusalém.Então Paulo respondeu: "Por que vocês estão chorando e partindo o meu coração? Estou pronto não apenas para ser amarrado, mas também para morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus".
Atos 21:10-13
Segunda lição: a perseguição faz parte do chamado missionário

Perceba que o profeta Ágabo profetizou que Paulo seria preso se fosse pregar em Jerusalém. E o que Paulo fez? Ele foi mesmo assim.

Paulo tentou ao Senhor? Evidentemente que não.

Ele sabia que a perseguição também faz parte do chamado missionário. Na verdade, não apenas do chamado missionário, mas da própria vida cristã:
E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições.
2 Timóteo 3:12
Logo, não é novidade alguma ser perseguido por amor ao Senhor Jesus. Os missionários sabem disso. Mas, aí vem a terceira lição: como Paulo foi capaz de enfrentar essa situação e não voltar  atrás?

Terceira lição: quando se tem certeza do chamado, não há porque retroceder

Paulo, mesmo ciente do sofrimento e perseguição que o esperava, não retrocedeu. Por quê? Porque tinha plena certeza do seu chamado.

Quando temos certeza de que estamos fazendo exatamente o que Deus deseja, quando sabemos que o Senhor nos direciona para determinado lugar porque é Seu desejo que Seu nome seja glorificado por meio de nossas vidas nas situações que enfrentaremos, acredite, o Espírito de Deus nos fortalecerá e nos dará a coragem necessária para seguirmos em frente. É por isso que os missionários cristãos estão pregando em ambientes tão hostis. 

Mas, atenção! É necessário ter realmente a certeza de estar na direção certa. Em caso de dúvida, pare. Ore. Não saia do lugar enquanto não ouvir a voz do Senhor. Isso vale para qualquer cristão.

Porque, uma vez que Deus confirme o caminho a seguir, espero que eu e você possamos dizer como Paulo:
"Por que vocês estão chorando e partindo o meu coração? Estou pronto não apenas para ser amarrado, mas também para morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus".
Atos 21:13
Em Cristo,

Pr. Nill.











quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Mártires Cristãos do Séc. XXI


Enquanto temos no Brasil evangélicos nominais, "crentes não praticantes", pessoas que se dizem cristãs mas que insistem em viver em união estável, em ter relações sexuais sem serem casadas, em usar álcool (e até drogas ilícitas!), em ser corruptas; que dizem ser artistas cristãos mas que cobram verdadeiras fortunas para cantarem nas igrejas e "não se apresentam" em qualquer lugar; membros de igrejas que estão mais preocupados em conquistar cargos nas igrejas locais do que glorificar a Deus com suas vidas; homens e mulheres que dizem ser de Cristo, mas que negam Sua Pessoa com suas atitudes diárias... ainda existem aqueles que estão servindo ao Senhor de fato e de verdade, gastando suas vidas em prol do Reino de Deus, seguindo o Rei dos Reis e sendo fiéis à Sua Pessoa mesmo em face da morte.

Oremos por nossos missionários e pelas famílias daqueles que agora já estão no seio de Abraão.
"e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão" Lucas 16:22
Pr. Nill.